Butão realiza eleições democráticas pela primeira vez

População contou com treinamento em abril, para aprender a votar

Efe

31 de dezembro de 2007 | 03h40

A população do Butão realiza, nesta segunda-feira, dia 31, a primeira eleição democrática da história do país, para escolher representantes na Câmara Alta. Os colégios abriram suas portas às 8h locais (0h de Brasília) e fecharão às 16h (8h de Brasília), com a apuração começando logo em seguida. Os 300.000 eleitores elegerão os representantes de 15 circunscrições da Câmara Alta, mas terão de esperar até 29 de janeiro para escolher os cinco restantes devido à ausência de candidatos para estes distritos. O rei do Butão, Jigme Khesar, mantém o poder de designar os cinco membros restantes da Câmara. Os butaneses viam com reticência a chegada da democracia ao país. Mas o atual monarca, um jovem de 26 anos educado na Universidade de Oxford (Reino Unido), se manteve firme em seu propósito de realizar eleições. Khesar continuou as reformas iniciadas por seu pai, Jigme Singye Wangchuk, que abdicou do trono em dezembro de 2006 ao se dizer cansado do poder. Em 2001, Wangchuk iniciara a transição da monarquia absoluta, vigente desde 1953, à democracia, o que o incluiu a elaboração de uma Constituição na qual o rei manterá seu papel como chefe de Estado. A inexperiência eleitoral dos butaneses obrigou o Governo a organizar uma simulação eleitoral em massa no último mês de abril.

Tudo o que sabemos sobre:
votosButãohistória

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.