REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Ex-promotor do caso López recebeu dinheiro para não culpar opositor, diz Cabello

Presidente da Assembleia Nacional afirma que Franklin Nieves teria recebido US$ 850 mil para inocentar o líder da oposição pela morte de 43 pessoas durante protestos contra o governo

O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2015 | 10h38

CARACAS - O presidente do Parlamento venezuelano, Diosdado Cabello, afirmou nesta quinta-feira, 29, que o ex-promotor Franklin Nieves recebeu dinheiro da oposição para não culpar o líder Leopoldo López de assassinato. Nieves, que fugiu do país, disse recentemente que López foi acusado com provas “falsas”.

“Ele estava lá para garantir que as acusações não fossem pelo assassinato de venezuelanos e venezuelanas, esse era o seu trabalho. Ele terminou e foi embora”, afirmou Cabello durante seu programa de televisão transmitido pela emissora estatal VTV.

“Franklin Nieves, um criminoso, recebeu uma oferta de US$ 850 mil”, destacou o presidente da Assembleia Nacional para fortalecer a tese de que o objetivo do ex-promotor era fazer com que López não fosse acusado pelo homicídio de 43 pessoas durante protestos contra o governo.

López foi condenado em setembro por quase 14 anos de prisão por incitação ao crime, associação para delinquir, dano ao patrimônio público e incêndio proposital durante os protestos de 12 de fevereiro de 2014.

A condenação foi considerada insuficiente por Cabello, que também atribuiu a López a responsabilidade pelos homicídios e disse que iria recorrer da decisão. “Existe um grupo de advogados que estão trabalhando no caso, e vamos recorrer como cidadãos na Justiça por essa condenação miserável de 13 anos contra um assassino de 43 pessoas”, disse. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.