Cabul rejeita tropas dos EUA no país até 2024

O Afeganistão rejeitou ontem um acordo para permitir a presença de tropas dos EUA no país até 2024. Segundo o secretário de Defesa americano, Chuck Hagel, a permanência das forças de Washington em território afegão após 2014 estará comprometida caso o governo do presidente Hamid Karzai não mude de ideia até o fim do ano.

CABUL, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2013 | 02h08

A decisão de Cabul veio após dois dias de reuniões a portas fechadas entre anciãos e chefes tribais - o conselho, chamado de "Loya Jirga", define os temas mais importantes do país. Washington afirma que, a partir de 2014, seus soldados no Afeganistão deixarão funções de combate a passarão a treinar e auxiliar em operações de inteligência com as forças locais.

Na quinta-feira, o presidente Karzai pegou os EUA de surpresa ao afirmar que deixaria para seu sucessor a decisão de assinar ou não o documento. O Afeganistão terá eleições no dia 5 de abril.

O governo de Barack Obama afirmou que retirará todas as suas tropas do país caso um pacto não seja assinado a tempo, como ocorreu quando o Iraque se recusou a firmar o documento. Ontem, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, telefonou a Karzai para pressioná-lo. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.