Cabul tenta voltar à normalidade

Horas depois dos bombardeios norte-americanos contra Cabul, capital do Afeganistão, os mercados da cidade abriram na segunda-feira como de costume e a rotina parecia normal, enquanto os afegãos saíam de suas casas para examinar os efeitos do ataque. Mas não havia nenhuma evidência de o ataque deixou feridos ou mortos nos hospitais da cidade. Apenas o aeroporto da cidade, um dos alvos do ataque, permanece fechado. Os moradores de Cabul, porém, não acreditam que a tranqüilidade dure muito. "Ambos são fortes. Esta luta pode se prolongar bastante", disse Fida Mohammed, um motorista de ônibus que vive perto do aeroporto. "O povo americano come frango e tudo o que nós queremos é um pedaço de pão. E ainda temos mais problemas", comentou o motorista. Ele já se mudou para a casa de sua irmã, que fica do outro lado da cidade. A maioria das famílias que vivem perto de possíveis alvos da coalizão anglo-americana estão abandonando suas casas. Algumas pretendem se mudar para o interior do país enquanto outras vão morar na casa de amigos ou parentes em outras partes de Cabul. Leia o especial

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 04h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.