Caçador de nazistas oferece recompensa na Hungria

Uma campanha publicitária oferecendo ? 10.000 (cerca de R$ 37.000) por informações que levem à captura de criminosos de guerra nazistas foi lançada na Hungria pelo Centro Simon Wiesenthal, que instalará uma central telefônica para receber denúncias. A recompensa será paga por informações que levem à condenação judicial dos acusados.A campanha, chamada ?Operação: Última Chance?, já teve início na Áustria, Croácia, Polônia, Romênia, Lituânia, Estônia e Letônia, disse Efraim Zuroff, diretor do Centro Wiesenthal de Jerusalém. ?Esta é a melhor aula de história possível para a Hungria?, disse. ?Terá impacto positivo na compreensão do Holocausto pela sociedade?.Historiadores húngaros criticaram a campanha, dizendo que poderá alimentar sentimentos anti-semitas e dar a impressão de que só quem conta com dinheiro de estrangeiros consegue justiça no país. O historiador Krisztian Ungvary questionou a decisão de caçar criminosos da 2ª Guerra Mundial, já na casa dos 80 ou 90 anos, enquanto que os responsáveis por abusos na era comunista, mais recente, continuam impunes, alguns ainda no poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.