Caças iraquianos atacam Mossul e matam ao menos 60 do Isil

Milícias curdas avançam para retomar território ocupado por radicais sunitas que impuseram califado islâmico no interior do Iraque

O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2014 | 09h56

 BAGDÁ - Forças curdas e caças do governo iraquiano atacaram nesta quarta-feira, 6, posições do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (Isil, na sigla em inglês) em Arbil e em Mossul. Ao menos 60 pessoas morreram no bombardeio, segundo a TV estatal iraquiana. 

O principal alvo do ataque foi uma prisão também usada pelo Isil como tribunal no centro de Mossul. O ataque não pode ser verificado de maneira independente, uma vez que a imprensa é impedida de chegar ao local.

A 40 km da capital regional curda de Arbil, forças curdas atacaram combatentes do Isil. O ataque ocorreu após militantes do Estado Islâmico terem imposto uma humilhante derrota aos curdos no domingo, com um rápido avanço contra três de suas cidades, levando o primeiro-ministro do Iraque a ordenar que a força aérea do país apoiasse pela primeira vez as forças curdas. 

“Nós mudamos nossas táticas, de defesa para o ataque. Agora estamos em confronto com o Estado Islâmico em Makhmur”, disse Jabbar Yawar, secretário-geral do ministério curdo responsável pelos soldados da região, os chamados combatentes peshmerga. / AP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueIsil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.