REUTERS/Nacho Doce
REUTERS/Nacho Doce

Cachorro é sacrificado nos EUA após ser infectado por covid-19

Animal de nove anos de idade já tinha problemas crônicos de saúde; ainda não há evidências de que animais de estimação tenham papel significativo na disseminação da covid-19 para pessoas

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2020 | 13h05

CAROLINA DO SUL - Um cachorro de nove anos de idade e problemas crônicos de saúde foi sacrificado após ter sido diagnosticado com o novo coronavírus nos Estados Unidos. As informações foram divulgadas pela rede de televisão americana Fox News nesta terça-feira, 21. 

A Universidade de Clemsom confirmou que o animal foi o primeiro da Carolina do Sul a ter sido infectado com o vírus. O animal passou por testes após um de seus donos ter sido contaminado. As descobertas também indicaram que o cão tinha problemas crônicos de saúde, razão pela qual foi sacrificado. 

"Com base no conhecimento atual, ainda não há evidências de que os animais de estimação tenham um papel significativo na disseminação da covid-19 para as pessoas", disse Boyd Parr, diretor da escola de veterinária da Universidade de Clemsom, em entrevista à Fox News.

"Continua sendo uma boa ideia restringir o contato com seus animais de estimação e outros animais, assim como você faz com outras pessoas, se estiver infectado, a fim de protegê-los da exposição ao vírus", recomendou Barr. 

A Fox News relatou ainda que o cão foi um dos 13 animais diagnosticados com coronavírus, incluindo um leão e um tigre, no país. Os animais adoeceram depois de entrar em contato com pessoas infecatadas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.