Cada vez mais isolada, Síria é condenada pela ONU

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) condenou nesta segunda-feira a Síria por sua repressão de nove meses aos manifestantes pró-democracia e pelos abusos de direitos humanos, em uma votação que destacou o crescente isolamento de Damasco na entidade mundial.

REUTERS

19 de dezembro de 2011 | 19h00

A votação aconteceu um mês depois que o comitê de direitos humanos da assembleia aprovou o projeto de resolução com forte apoio do Ocidente e de países árabes.

Nesta segunda-feira, na votação da resolução, que foi elaborada por Grã-Bretanha, França e Alemanha, 133 países votaram a favor, 11 contra e 43 se abstiveram.

A votação foi feita logo depois que a Síria concordou em assinar um acordo da Liga Árabe que permitirá o acesso de monitores ao país.

Desta vez, houve mais 11 votos a favor da moção na assembleia em relação à votação do comitê no mês passado, quando 122 países votaram "sim", 13 "não" e 41 se abstiveram.

Diplomatas da ONU disseram que o resultado desta segunda-feira mostrava que a Síria estava se tornando mais e mais isolada internacionalmente.

A resolução diz que o comitê "condena fortemente as contínuas violações sistemáticas e graves dos direitos humanos pelas autoridades sírias, como execuções arbitrárias, uso excessivo da força e a perseguição e assassinato de manifestantes e defensores dos direitos humanos."

(Reportagem de Louis Charbonneau)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSIRIACONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.