Cai exportação de petróleo e com ela ajuda da ONU ao Iraque

Desde que o Conselho de Segurança iniciou seus debates sobre as inspeções da ONU no Iraque, as vendas de petróleo de Bagdá despencaram. Apesar do embargo que sofrem desde 1991, os iraquianos podem exportar petróleo em troca de alimentos e assistência humanitária. O problema é que somente nos últimos dias, a exportação caiu pela metade. "Isso é um sinal das dificuldades que o país pode enfrentar em caso de um conflito", afirmou um representante da ONU. Até o início do mês de novembro, o Iraque estava exportando 19,3 milhões de barris de petróleo por semana. Os recursos arrecadados com as vendas possibilitava que a ONU pagasse por serviços de alimentação, assistência médica e mesmo tratamento de água. Mas nos últimos dias, as exportações atingiram apenas 7,3 milhões de barris por semana, vendidos por US$ 20,00 cada. Com a falta de recursos, a ONU está sendo obrigada a cancelar os cerca de 1,6 mil contratos que havia feito com várias empresas para fornecer serviços para a população iraquiana. "Para que os contratos pudessem ser cumpridos, teríamos que ter em caixa cerca de US$ 3,1 bilhão. Mas na última semana, a arrecadação foi de apenas 154 milhões ", completou um funcionário da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.