Cai nova parte de telhado de supermercado na Letônia

Parte do telhado do terceiro andar do supermercado onde pelo menos 54 pessoas morreram - segundo a última atualização da polícia - após desabamento do teto na sexta-feira, na Letônia, veio ao chão neste sábado, durante o trabalho de buscas por sobreviventes entre os escombros. Ninguém ficou ferido, mas autoridades suspenderam as atividades no local devido à instabilidade da estrutura do prédio.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2013 | 18h05

A porta-voz do Serviço de Bombeiros e Resgate, Viktorija Sembele, afirmou que o último desabamento foi em uma área onde os bombeiros não estavam trabalhando, mas os profissionais foram imediatamente retirados de dentro do prédio por medidas de segurança. Engenheiros devem ser consultados antes da retomada da operação, suspensa pelo menos até a manhã deste domingo. O trabalho era feito no interior do prédio com ferramentas manuais, porque equipamentos pesados poderiam colocar em risco a segurança e as vidas dos sobreviventes e equipes de emergência.

Entre as 54 vítimas estão três bombeiros. Quarenta pessoas estão feridas - incluindo 13 bombeiros - e 23 permanecem hospitalizadas. Há sete desaparecidos. Investigadores trabalham com a hipótese de defeitos na construção ou reparos que estavam em andamento no telhado do local como potenciais causas da tragédia, em um horário de grande movimento no supermercado.

O ministro do Interior da Letônia, Rihards Kozlovskis, disse na manhã de sexta-feira que há um número desconhecido de pessoas e corpos presos nos escombros. O presidente da Letônia, Andris Berzins, descreveu o desastre como o pior do país desde sua independência da União Soviética, em 1991. Ele descreveu o caso como "genocídio" e pediu rapidez nas investigações. A polícia diz que os trabalhos podem durar semanas.

Pelo Twitter, neste sábado, o prefeito de Riga, Nil Ushakov, informou que, tão logo as investigações sejam concluídas, as ruínas do supermercado serão demolidas e um monumento será construído no local. Representantes do serviço de emergência e funcionários do governo da cidade informaram que as investigações sobre o desabamento do telhado serão iniciadas assim que os trabalhos de resgate forem encerrados.

De tempos em tempos, os integrantes das equipes de resgate desligam todos os seus equipamentos e pedem a parentes de desaparecidos que liguem para os telefones celulares das vítimas para que, assim, possam ouvir os toques, informou a porta-voz do serviço de resgate. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
LETÔNIASUPERMERCADODESABAMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.