Cai número de jornalistas mortos, revela ONG

O ano de 2008 foi menos violento para a imprensa do que 2007, indicou um relatório anual divulgado ontem em Paris pela ONG Repórteres Sem Fronteira (RSF). A organização registrou 60 mortes de jornalistas no exercício da profissão de janeiro a dezembro deste ano. No ano passado foram 86.O Iraque foi o principal responsável pela redução: 15 jornalistas foram mortos este ano no país árabe, 32 a menos do que em 2007 e 31 a menos do que em 2006. O segundo país mais perigoso é o Paquistão, onde sete jornalistas foram mortos, seguido das Filipinas, com seis."Os números podem ser mais baixos que os do ano passado, mas isso não deveria esconder o fato de que a intimidação e a censura se disseminaram, até mesmo no ocidente", diz o relatório.Outra constatação é que a repressão cresceu na internet. Em 2008, foi registrada a primeira morte de um blogueiro, espancado na China por divulgar informações sobre uma manifestação pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.