Cai o chefe das forças de segurança palestinas

Mohammad Dahlan vinha sendo duramente criticado pela derrota diante do Hamas na Faixa de Gaza, tomada em junho pelo grupo radical islâmico

NYT, Reuters e AP, Ramallah, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2027 | 00h00

O chefe de segurança da Autoridade Palestina (AP), Mohammad Dahlan, renunciou ontem ao cargo, após semanas de críticas pela derrota de suas forças nos violentos combates na Faixa de Gaza com o Hamas, que tomou o controle do território em 14 de junho. A renúncia foi uma formalidade, já que o presidente da AP, Mahmud Abbas, já havia dissolvido o Conselho de Segurança Nacional, de Dahlan, após a tomada de Gaza.Sessenta membros das forças de segurança palestinas podem enfrentar corte marcial por seu fracasso em confrontar o Hamas, concluiu ontem um comitê de investigação. Seu relatório final deve ser divulgado hoje. O comitê ouviu mais de 120 horas de testemunhos. Não está claro se Dahlan está entre os que podem ser julgados.Dahlan, de 46 anos, foi apontado como culpado por muitos membros do Fatah, o partido laico de Abbas, pelo rápido colapso de suas forças na ofensiva de uma semana do Hamas, que deixou mais de cem mortos. Na ocasião, Dahlan estava na Alemanha recuperando-se de uma cirurgia nos joelhos. Ele voltou apenas nos últimos dias de confronto e seguiu para Ramallah, sede do Fatah na Cisjordânia. Na carta de renúncia, ele alegou questões de saúde para deixar o cargo. Atualmente, Dahlan está em algum lugar dos Bálcãs fazendo fisioterapia, disse um funcionário da AP. Dahlan é um dos maiores inimigos do Hamas. Abbas o apontou como assessor de segurança nacional logo após a formação do governo de união entre e o Fatah e o Hamas, em março, provocando a fúria do movimento islâmico.Ainda ontem, Abbas disse que promoverá reformas na lei eleitoral, que devem tornar difícil para o Hamas manter a maioria parlamentar conquistada em 2006. Segundo Abbas, todo o Parlamento será composto com base na porcentagem que cada partido obtiver nacionalmente. Atualmente, metade é composta por representantes de colégios eleitorais locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.