Cain suspende campanha para a presidência dos EUA

Herman Cain, um dos pré-candidatos do Partido Republicano à presidência dos EUA, desistiu suspender sua campanha à Casa Branca em meio a acusações de que teria assediado sexualmente várias mulheres e mantido um relacionamento extraconjugal.

AE, Agência Estado

03 de dezembro de 2011 | 17h21

Durante um pronunciamento, Cain negou novamente as acusações e disse que elas estavam sendo perpetuadas pela imprensa e pela classe política norte-americana. "Estou suspendendo minha campanha presidencial por causa das distrações contínuas, da dor contínua causada a mim e a minha família", afirmou. Sua esposa, Gloria, estava presente durante o discurso.

Segundo o republicano, as acusações tiraram a campanha dos trilhos e prejudicaram sua capacidade para "apresentar soluções" ao povo norte-americano. Cain disse que pretende continuar envolvido na campanha republicana para a presidência dos EUA e que deve divulgar posteriormente quem apoiará na disputa.

Pesquisas recentes mostraram que os eleitores do Partido Republicano estavam perdendo a fé em Cain e que seus simpatizantes provavelmente alterarão seus votos para os pré-candidatos Mitt Romney e Newt Gingrich. As informações são da Dow Jones. (Gustavo Nicoletta)

Tudo o que sabemos sobre:
CainsuspendecamapnhapresidênciaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.