Caixa-preta de avião da Embraer acidentado é encontrada na China

Aeronave da Henan Airlines caiu perto da pista de aterrissagem do aeroporto em Yichun

Efe

25 de agosto de 2010 | 02h01

 

PEQUIM - Os serviços de resgate encontraram a caixa-preta do avião da Embraer acidentado na terça-feira, 24, na China, enquanto os 42 corpos começaram a ser levados a necrotérios para serem identificados por seus familiares, informou nesta quarta a imprensa oficial.

 

Em um primeiro momento, o número de mortos, segundo informações oficiais, era de 43, mas o governo de Yichun anunciou nesta quarta que são 42. De acordo com o governo, os documentos das vítimas mostram os mortos tinham entre 12 e 55 anos.

O avião, um E-190, da companhia Henan Airlines, caiu perto da pista de aterrissagem do aeroporto da localidade de Yichun, na província nordeste de Heilongjiang, e ficou envolvido em chamas, com 96 pessoas a bordo. A Embraer enviou imediatamente à China uma equipe de técnicos para investigar o acidente.

A Administração de Aviação Civil da China declarou que das 96 pessoas que viajavam no avião, cinco eram crianças e outras cinco pertenciam à tripulação. Fontes oficiais confirmaram também que um grupo de funcionários do Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social viajava no avião, e a maioria deles sobreviveu ao acidente. A imprensa afirma que o capitão do avião também sobreviveu e está no hospital, mas não está em condições de relatar o que aconteceu.

O aparelho tinha decolado pouco antes das 21 horas locais (10 horas de Brasília) da capital provincial, Harbin, para fazer um voo de 360 quilômetros com destino a Yichun, a cerca de 150 quilômetros da fronteira com a Rússia.

São desconhecidas, por enquanto, as causas do acidente, embora haja suspeitas de que um denso nevoeiro dificultou a aterrissagem do avião, que aparentemente saiu da pista quando tentava pousar e incendiou. O site da revista econômica chinesa Caijing afirma que o aeroporto de Yichun não estava preparado para operar à noite.

O último acidente aéreo de grande magnitude na aviação comercial chinesa aconteceu em novembro de 2004, quando um Bombardier CRJ-200LR se acidentou perto de Baotou (norte da China), causando a morte de 53 pessoas a bordo e outras duas em terra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.