Pancho Bernasconi/Getty Images/AFP
Pancho Bernasconi/Getty Images/AFP

Caixa-preta de trem descarrilado que matou brasileira em New Jersey é encontrada

Gravador de dados foi retirado na noite de quinta-feira da locomotiva na traseira do comboio

O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2016 | 12h05

WASHINGTON - Investigadores encontraram a caixa-preta com os dados de um trem de passageiros que descarrilou e atingiu uma estação em Hoboken, no Estado norte-americano de New Jersey, matando uma pessoa e ferindo 114, disse um porta-voz de área de segurança nos transportes dos Estados Unidos nesta sexta-feira.

O gravador de dados foi retirado na noite de quinta-feira da locomotiva na traseira do trem da empresa NJ Transit, que atingiu a estrutura da plataforma durante o horário de pico da manhã, informou o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança no Transporte (NTSB, na sigla em inglês).

Os investigadores não conseguiram chegar até o outro gravador na dianteira do trem por causa dos escombros, disse.

"Neste momento existem alguns desafios para a investigação no que diz respeito a acessar os destroços", disse o porta-voz.

O gravador registra dados que incluem a velocidade do trem, a posição do acelerador e o uso de freios.

O trem #1614, que partiu de Spring Valley, em Nova York, terminava sua viagem de uma hora rumo ao sul quando se chocou com o terminal. A colisão derrubou colunas de apoio, e testemunhas descreveram um cenário de terror e caos.

O serviço da NJ Transit foi suspenso para partidas e chegadas no terminal de Hoboken, um dos polos de transporte mais movimentados na área de Nova York, nesta sexta-feira.

A vice-presidente do NTSB, Bell Dinh-Zarr, disse em uma coletiva de imprensa que a investigação deve levar de 7 a 10 dias.

A colisão matou a brasileira Fabíola Bittar de Kroon, de 34 anos, natural de Santos, ao ser atingida por destroços do acidente, disse o prefeito da cidade, Dawn Zimmer. Outras 114 pessoas ficaram feridas, informou o governador de New Jersey, Chris Christie, à rede CNN. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.