Calderón assume dianteira e deve vencer eleição no México

A apuração oficial da eleição presidencial do último domingo no México confirmará a vitória do candidato conservador Felipe Calderón, do Partido de Ação Nacional, sobre seu rival esquerdista Andrés Manuel López Obrador, do Partido Revolucionário Democrático, pela mesma margem de aproximadamente 0,6%, ou cerca de 250 mil votos em mais de 41,1 milhões, registrada na contagem preliminar. Depois de estar atrás de López Obrador durante as primeiras vinte horas de apuração das atas da votação, Calderón assumiu a dianteira às 4h07 da manhã de hoje (6h07 em Brasília), quando a contagem atingiu 97% das mais de 130 mil urnas. Certo de que as pouco mais de 2 mil urnas ainda por apurar aumentarão sua vantagem, pois estão todas de estados do norte país, onde bateu López Obrador por margens amplas, Calderón fez um discurso a algumas centenas de eufóricos simpatizantes na sede do Pan.Às 5h40 (7h40 em Brasília), apuradas 98,55% das urnas, Calderón tinha 35,69%, e López Obrador 35,49% e Roberto Madrazo, do Partido Revolucionário Institucional, 22,28%. A apuração oficial das eleições foi conduzida na presença de representantes dos partidos com base no exame das atas que contêm os resultados da contagem dos votos feita pelos mesários na noite do último domingo, também na presença de fiscais partidários. Nos casos de urnas nas quais se detectaram diferenças nas somas ou sinais de adulteração das atas, procedeu-se à uma nova contagem dos votos.O presidente do Instituto Federal Eleitoral (IFE), Luiz Carlos Ugalde, anunciará o resultado oficial das eleições presidenciais tão logo termine a apuração de 100% das urnas. López Obrador marcou um discurso para às 8 horas (10h em Brasília). A expectativa é que ele impugnará a eleição e exigirá uma nova contagem de todas as urnas, voto por voto. O pedido formal de impugnação terá que ser apresentado num prazo de quatro dias a partir do anúncio dos resultados da apuração oficial pelo IFE ao Tribunal Eleitoral do Poder Judiciário da Federação (Trife), o equivalente ao TSE no México. O tribunal poderá acolher ou rejeitar o pedido e tem até o dia 31 de agosto para fazê-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.