Calderón lidera boca-de-urna por pequena diferença

Quatro pesquisas iniciais de boca-de-urna continuam apontando para uma ligeira vantagem ao candidato conservador Felipe Calderón Hinojosa, de 43 anos, do Partido de Ação Nacional (PAN), nas eleições do México, até o final da noite deste domingo.Os resultados não são oficiais e nem mesmo os meios de comunicação do país se arriscam a fazer projeções mais firmes sobre o resultado das eleições. Às 20 horas deste domingo (22 horas em Brasília), todas as 130 mil seções eleitorais mexicanas serão fechadas.O Instituto Federal Eleitoral (IFE) pode liberar a primeira apuração oficial por volta das 23 horas (1 hora em Brasília). A apuração leva em consideração 7.600 sessões eleitorais e tem margem de erro de 0,3%.Pela pesquisa da TV Azteca, Calderón tinha 32% na projeção de votos, para 30% do esquerdista Andrés Manoel López Obrador, de 52 anos, do Partido Revolucionário Democrático (PRD), e 25% para Roberto Madrazo, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), que ficou sete décadas no governo até ser derrotado pelo atual presidente, Vicente Fox, do PAN.Pela pesquisa do Instituto Gaos, Calderón tinha 32%, Lópes Obrador, 30% e Madrazo, 25%. A pesquisa Panmex dava 32% a Calderón, 31% a López Obrador e 23% a Madrazo. As diferenças não superam a margem de erro de três pontos.O vencedor terá mandato de seis anos e sucederá a Fox no dia 10 de dezembro. Embora os discursos dos dois principais candidatos e os insultos pessoais trocados entre eles durante a campanha tenham polarizado e reduzido o debate eleitoral a uma falsa confrontação entre ricos e pobres, López Obrador e Calderón disputam sobretudo os decisivos votos da crescente classe média urbana do México.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.