Calderón quer que sucessor mantenha combate a drogas

A apenas cinco dias da eleição presidencial no México, o presidente Felipe Calderón, defendeu nesta terça-feira que seu sucessor não abandone a ofensiva militarizada do país contra os cartéis de drogas.

AE, Agência Estado

26 de junho de 2012 | 19h50

Calderón disse esperar que o próximo governo mexicano "seja verdadeiramente comprometido com a luta pela segurança do povo mexicano". Em discurso realizado nesta terça-feira, o presidente disse ainda que a luta contra o crime organizado "deve continuar avançando nos próximos anos".

O candidato do ex-partido governista do país, Enrique Pena Nieto, é o favorito na disputa presidencial do próximo domingo, dia 1º de julho. Pena Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), tem dito que é a favor de dar menos ênfase à prisão de líderes de cartéis em favor da redução da violência contra os cidadãos comuns. Sua postura gerou receios no México e Estados Unidos de que ele vai relaxar no combate aos cartéis, mas o candidato afirma que a preocupação é descabida. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
MéxicoCalderóndrogascombate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.