Califórnia fecha escolas e homem se entrega após ameaças

Professores trancaram portas e fecharam as janelas das salas de aula, mantendo quase 22 mil crianças fechadas durante toda a quinta-feira, 19, em duas cidades da Califórnia depois que um homem ameaçou fazer uma matança inspirado pelo massacre de segunda-feira, 16, na universidade Virginia Tech. A polícia foi chamada para patrulhar escolas públicas em Yuba City e em Marysville, 64 quilômetros ao norte de Sacramento, capital do Estado, depois que Jeffery Thomas Carney supostamente afirmou que pretendia fazer o massacre de Virgina Tech "parecer leve". Carney, 28, entregou-se no final da quinta-feira no gabinete do xerife do Condado de Sutter, disse o xerife Jim Denny em entrevista coletiva. Autoridades locais dizem que Carney ligou para o seu pastor na Igreja Metodista Unificada na noite de quarta-feira para dizer que estava armado com um fuzil AK-47, aparatos explosivos improvisados e veneno, e que tentaria provocar um confronto com a polícia para "cometer suicídio" no conflito. "Por volta das 8h30, pedimos para os diretores fecharem todas as janelas", disse Nancy Aaberg, superintendente de 12.000 estudantes no distrito de Yuba City. "Sentimos que era uma medida de segurança consistente. Era uma ameaça geral. Não havia ameaça específica contra escolas específicas." Tensão Escolas dos Estados Unidos vivem clima de tensão nesta semana, depois que o estudante Cho Seung-Hui matou 32 pessoas antes de suicidar-se no campus de Blacksburg, Virginia, na segunda-feira, no pior ataque deste tipo na história moderna dos EUA. Autoridades de Yuba City encerraram as aulas mais cedo na quinta-feira. Em Marysville, do outro lado do rio, 9,7 mil estudantes foram mantidos dentro das salas, disse um administrador. Os condados de Yuba, Sutter e Butte cancelaram as aulas nesta sexta-feira, 20, porque Carney ainda estava solto até a noite anterior. O departamento do xerife descreveu Carney como problemático e como um homem que faz uso abusivo de metanfetaminas. O departamento do xerife de Sutter disse que ele tem passado criminoso, incluindo roubo e conspiração, e que estava em liberdade condicional depois de acusações de violência doméstica contra os pais. Ele enfrenta acusações de fazer ameaças criminais e de ato criminoso durante liberdade condicional, disse o xerife Jim Denny. Documentos da corte mostram que Carney foi registrado há dois anos como falido, com dívidas de 20.718 dólares, incluindo 9.674 de dólares em pensão para filhos. Seu registro profissional é de assistente pessoal da mãe, Marie Carney, que é corretora imobiliária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.