Calma retorna à capital da Libéria

A calma retornou a Monróvia, capital da Libéria, depois que os rebeldes liberianos declararam seu segundo cessar-fogo em dez dias, enquanto forças leais ao presidente Charles Taylor os empurravam para fora dos limites da capital e do porto, após dias de intensos combates que deixaram centenas de mortos e mais de mil feridos.Em comunicado, o movimento rebelde Liberianos Unidos pela Reconciliação e a Democracia declarou unilateralmente uma trégua para "evitar uma catástrofe humanitária" em Monróvia. O ministro liberiano de Defesa, Daniel Chea, disse que as tropas governamentais também respeitarão o cessar-fogo.Os rebeldes, que há mais de três anos tentam depor Taylor, acusaram o presidente de utilizar a população civil como "bucha de canhão". Milhares de pessoas abandonaram suas casas e muitas se refugiaram no Estádio Nacional e em instalações de sedes diplomáticas estrangeiras.Na quarta-feira, o presidente americano, George W. Bush, pediu a Taylor que renuncie, como prometeu no primeiro acordo de cessar-fogo, assinado na semana passada. Taylor é acusado de crimes de guerra em Serra Leoa, por um tribunal da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.