Câmara dos EUA aprova prospecção de petróleo no Alasca

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos aprovou um plano que permite a prospecção petrolífera na Reserva Nacional Ártica do Alasca, apesar da oposição de grupos ambientalistas.O projeto, apresentado pelo republicano Richard Pombo, foi aprovado por 225 votos a favor e 201 contra. Serão permitidas perfurações em 810 hectares do total de mais de 7,5 milhões.A decisão da Câmara, que agora vai ser submetida ao Senado, onde deve enfrentar uma dura oposição, foi elogiada pelo presidente George W. Bush. Ele defende a prospecção na região para reduzir a dependência americana de petróleo importado. Bush considerou a aprovação um passo rumo ao desenvolvimento de fontes nacionais de energia.Apesar ser um dos maiores produtores do mundo, os EUA importam cerca de 60% do petróleo necessário para alimentar sua indústria. Na região há reservas estimadas em 10 bilhões de barris. A prospecção "deixará os EUA menos dependente de fontes externas de energia", comentou Bush.No entanto, muitos parlamentares democratas e grupos ambientalistas afirmam que o petróleo na reserva não é suficiente para justificar a destruição do habitat de centenas de espécies de flora e fauna. "Não deveríamos estar tão dispostos a sacrificar o meio ambiente por apenas seis meses de petróleo", disse a democrata Diana DeGette.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.