Câmara dos EUA aprova verba para iniciar muro na fronteira com o México

Câmara dos EUA aprova verba para iniciar muro na fronteira com o México

Era previsível que a proposta avançasse na Câmara porque os republicanos controlam a Casa com folgada maioria; mas a aprovação será muito mais difícil no Senado

O Estado de S.Paulo

27 Julho 2017 | 21h49

WASHINGTON - A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira, 27, um plano orçamentário para o ano fiscal de 2018 que inclui os US$ 1,6 bilhão pedidos pela Casa Branca para começar a construir um muro na fronteira com o México.

Com 235 votos a favor e 192 contra, a Câmara dos Deputados autorizou o orçamento de US$ 788 bilhões para financiar durante o ano fiscal de 2018 - entre 1º de outubro de 2017 a 30 de setembro de 2018 - os Departamentos de Defesa, Veteranos, Energia, entre outros.

Os republicanos incluíram a proposta do muro dentro do orçamento para o Departamento de Defesa, com o objetivo de obrigar os democratas a votarem a favor da construção, uma das principais propostas do presidente Donald Trump.

Os congressistas não entraram em acordo sobre um orçamento único para financiar o governo. Por isso, foram dividindo em diferentes leis os recursos para os vários departamentos do governo.

Na proposta aprovada hoje, por exemplo, não está o orçamento para o Departamento de Segurança Nacional, responsável pelo muro. O financiamento do órgão será avaliado em outro projeto de lei.

No fim de maio, a Casa Branca, por meio do Escritório de Administração e Orçamento, pediu ao Congresso US$ 1,6 bilhão para construir 96,5 quilômetros de muro no setor do Vale do Rio Grande, no Texas, e reformar 22,5 quilômetros da barreira já erguida em San Diego, na Califórnia.

Essas são algumas das regiões onde os agentes de fronteira realizam mais prisões de imigrantes ilegais.

Era previsível que a proposta avançasse na Câmara porque os republicanos controlam a Casa com folgada maioria - 240 cadeiras contra 194 dos democratas. No entanto, a aprovação será muito mais difícil no Senado.

Para serem aprovadas, as propostas de orçamento requerem o aval de 60 senadores. No entanto, os republicanos têm apenas 52 cadeiras no Senado e precisariam do apoio de 8 democratas, o que parece ser praticamente impossível.

O Congresso precisa aprovar o orçamento para o ano fiscal de 2018 antes do fim de setembro. Caso contrário, pode haver uma paralisação da administração, como ocorreu em 2013.

Os democratas se opuseram a aprovar um orçamento que contenha qualquer fundo para construir o muro. E já ameaçaram forçar uma paralisação do governo. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.