Câmara espanhola pede que Cuba liberte presos políticos

A Câmara dos Deputados da Espanha aprovou hoje uma resolução na qual pede pela libertação de todos os "presos de consciência" em Cuba. A iniciativa, semelhante à aprovada pelo Parlamento Europeu, foi apresentada pelo Partido Popular, da centro-direita e da oposição espanhola. No último momento, o Partido Popular teve que negociar com o governista Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) uma série de mudanças para aprovar o documento.

AE-AP, Agência Estado

13 de abril de 2010 | 18h34

O texto foi aprovado com 327 votos a favor, sete contrários e quatro abstenções. Igualmente ao texto aprovado em março pela câmara europeia em Estrasburgo, na França, o documento condena a "morte cruel e evitável" do dissidente cubano Orlando Zapata Tamayo, falecido em fevereiro por causa de uma prolongada greve de fome.

O Partido Popular aceitou retirar a referência à defesa de uma posição comum europeia, que é um pouco mais dura e condiciona as relações plenas entre Bruxelas e Havana a mudanças no regime comunista cubano. O Senado poderá votar na quinta-feira uma resolução praticamente igual à aprovada pelo Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.