AP
AP

Camarões mata 143 militantes do Boko Haram

Exército camaronês disse que um soldado foi morto nos combates; grupo insurgente nigeriano representa ameaça para países vizinhos

O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2015 | 16h48

(Atualizado às 19h30)

YAOUNDÉ - O Exército de Camarões matou 143 militantes do Boko Haram que atacaram a cidade de Kolofata, no borte do país, disse o governo, acrescentando que um soldado morreu no combate.

O número é a "mais pesada perda já" sofrida pelo grupo radical nigeriano Boko Haram em solo camaronês, disse em um comunicado o ministro de Comunicações e porta-voz do governo de Camarões, Issa Tchiroma Bakary.

O Boko Haram tem representado uma crescente ameaça para os países vizinhos Camarões, Níger e Chade."Eles atacaram a nossa base militar em Kolofata na segunda-feira pela manhã, matando um soldado e ferindo muitos outros”, afirmou uma fonte das forças especiais camaronesas, que pediu anonimato.

O jornal local L'Oeil du Sahel noticiou o ataque, dizendo que o grupo islâmico havia desde então sido empurrado para fora da cidade.

Na semana passada, um homem se dizendo o líder do grupo nigeriano, Abubakar Shekau, ameaçou intensificar a violência em Camarões se o país não abandonar a sua Constituição e abraçar o Islã.

O governo do país aumentou a segurança no norte nos últimos meses, mas ataques do Boko Haram na região de fronteira com a Nigéria ainda ocorrem. O governo de Camarões tem pedido ajuda internacional na luta contra grupo. / AFP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
NigériaBoko Haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.