Reprodução
Reprodução

Cambistas aplicam golpes na internet

Trocas de moeda ocorrem em redes sociais e sites

Felipe Corazza - O Estado de S. Paulo,

17 de outubro de 2013 | 23h13

O mercado paralelo do dólar na Venezuela se disseminou também pela internet, em redes sociais e páginas de comércio online. Cidadãos comuns e profissionais da "lechuga verde" (alface verde, em português, apelido da moeda americana no país latino-americano) oferecem operações de compra e venda de dólares no Facebook, no site de leilões eBay e outras "casas de câmbio virtuais".

Na página TuCadivi.com, que atualiza diariamente os preços do dólar e do euro no mercado paralelo, centenas de pessoas usam a área de comentários para movimentar trocas de moeda. As ofertas vão desde poucas centenas de dólares até montantes mais vultosos, chegando à casa dos milhões.

O site se autodenomina de "Comissão de Administração de Alfaces". Em sua página principal, ostenta as cotações no paralelo da "alface americana", da "alface europeia" e da "alface colombiana". Os usuários da página contam ainda com uma ferramenta que, automaticamente, calcula os valores das "alfaces" em cada cotação.

Como consequência do descontrole cambial, as fraudes também florescem no ambiente online. Muitos dos usuários dos sites de câmbio denunciam roubos e o golpe dos falsos dólares - de estelionatários que anunciam moeda, recebem o pagamento eletrônico e não entregam a mercadoria.

"Alerta! Boa noite a todos os usuários dessa plataforma. Devemos denunciar todos os estelionatários para ajudar a erradicar essa praga. Por aqui lhes deixo um nome (...). Esse senhor oferece um bom preço pelo seu presente, transfere para você (dinheiro) primeiro e trabalha somente com o Banco de Venezuela. Depois de 48 horas, sua conta bancária fica totalmente sem uso, fazendo você perder toda a ‘grana’", alertava ontem um dos usuários do TuCadivi.com.

Para combater o problema, os negociadores de moedas estrangeiras que desejam passar uma imagem de seriedade divulgam seus números de telefone e oferecem encontros pessoais para entrega do dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezueladólar paralelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.