Camboja e Tailândia ampliam tensão na fronteira

A Tailândia afirmou hoje que estava pronta para responder militarmente, caso fosse atacada pelo Camboja. O governo cambojano decretou um ultimato, segundo o qual as tropas tailandesas deveriam se retirar até o meio-dia de hoje (hora local) de uma disputada área fronteiriça. A Tailândia enviou mais tropas para uma área nas proximidades no fim da terça-feira (hora local), mas disse que a medida era apenas defensiva. "As tropas dos dois lados se retiraram um pouco", afirmou o general Viboonsak Neepan, comandante do Exército tailandês para a região. Porém, elas estariam "apenas a 100 metros de distância". "Nós enviamos mais tropas para a região próxima, mas apenas o suficiente para resistir (a um eventual ataque). Nós não atacaremos primeiro", afirmou o militar.A disputa tem relação com outra travada pelos dois países desde o início do ano, sobre uma área em torno de Preah Vihear, um templo do século 11 reivindicado pelas duas nações. A Corte Internacional de Justiça determinou em 1962 que o Camboja tinha o direito à posse do local. No entanto, quem possuía parte das terras nas proximidades não ficou claro na decisão.As tensões recomeçaram em 15 de julho, quando a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) aprovou o pedido do Camboja para transformar o templo em um Patrimônio da Humanidade. O Camboja enviou 800 soldados para a área, e a Tailândia, 400.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.