Camboja e Tailândia chegam à trégua após combates

A Tailândia e o Camboja concordaram hoje com um cessar-fogo, após uma semana de combates e duelos de disparos de artilharia que deixaram pelo menos 15 soldados dos dois países mortos, além de dezenas de militares feridos, e provocaram a fuga de mais de 50 mil civis das duas regiões de fronteira.

AE, Agência Estado

28 de abril de 2011 | 15h21

Os militares dos dois países chegaram a um acordo após uma conversa de 40 minutos em um posto fronteiriço e concordaram com a trégua e com a reabertura dos passos de fronteira, disse Phay Siphan, porta-voz do governo cambojano.

Os tailandeses foram mais cautelosos. O porta-voz do governo tailandês, Panitan Wattanayagorn, confirmou que o general tailandês Tawatchai Samutsakorn teve uma reunião com seu congênere cambojano, o general Chea Mon, e que ambos concordaram em estabelecer uma trégua "em princípio".

Os choques fronteiriços começaram na última sexta-feira, ao redor de dois templos hinduístas do século XI d.C., Ta Moan e Ta Krabey, cuja posse é reivindicada pela Tailândia. No decorrer desta semana, os choques se estenderam para os arredores de outro templo budista histórico, Preah Vihear, um patrimônio da Unesco que fica a 160 quilômetros dos dois primeiros templos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
CambojaTailândiatréguaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.