Camboja e Vaticano tentam consolidar relações diplomáticas

O primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, se reuniu com o Núncio Apostólico regional, o arcebispo Salvatore Penacchio, e os dois se comprometeram a consolidar as relações entre o Vaticano e o Camboja.Segundo informa nesta quinta-feira, 22, o jornal em khmer Kampuchea Thmey, o arcebispo agradeceu ao governante pela tolerância religiosa que existe no país. Ele também afirmou sua confiança em ver o espírito atual ser mantido como uma prioridade do governo.Hun Sen agradeceu ao arcebispo pelos projetos e hospitais da Igreja Católica no Camboja, para a melhora da educação e saúde do país.O arcebispo é o Núncio Apostólico na Tailândia, Laos, Brunei, Cingapura, Mianmar (Birmânia) e Camboja. Os católicos cambojanos são minoria no país, mas a Constituição garante a liberdade de culto.A religião católica foi perseguida no Camboja pela guerrilha maoísta do Khmer Vermelho entre 1975 e 1979.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.