Cambojanos não poderão enviar mensagens SMS nas eleições

Os cambojanos terão que ficar dois dias sem enviar mensagens por seus telefones celulares, até o fim das eleições, informou nesta sexta-feira, 30, a Comissão Eleitoral Nacional (CEN).A medida de segurança tem como objetivo impedir qualquer tipo de coação durante as eleições e a organização de manifestações, segundo o diretor de Comunicação da CEN, Phan Keo Monor. Ele declarou a uma rádio local que só quer "ajudar a manter a paz".As mensagens por celular são comuns no Camboja como um instrumento de campanha de partidos e sindicatos. Acredita-se que tenha sido o método utilizado em 2003 para coordenar os atos de protesto contra interesses tailandeses, que levaram ao incêndio da Embaixada da Tailândia em Phnom Penh.A CEN lembrou o caso do sindicalista Chea Vichea, que recebeu vários avisos em seu celular antes de ser assassinado, em 2004."A CEN solicitou a medida, e as operadoras de telefonia celular aceitaram a sua implantação durante dois dias", disse por telefone à Efe o ministro de Telecomunicações, So Khun.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.