Camelos importados da Austrália caminham pelas ruas de Trípoli em meio à guerra civil na Líbia

Camelos importados da Austrália caminham pelas ruas de Trípoli em meio à guerra civil na Líbia

Animais que seriam sacrificados pelos australianos foram comprados por empresário de Zawiya, a 45 quilômetros da capital

Ahmed Elumami / Reuters, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2020 | 08h00

TRÍPOLI – Uma procissão de 3 mil camelos deu um alento de alguns instantes à Líbia, país devastado por nove anos de instabilidade e uma violenta guerra civil que já deixou mais de 10 mil mortos. Os animais foram importados da Austrália por um empresário de Zawiya, a 45 quilômetros da capital Trípoli. Ele ficou sensibilizado quando ficou sabendo que os australianos pretendiam sacrificar 10 mil camelos selvagens que há anos vagam pelo interior do país.

Introduzidos na Austrália pelos britânicos, no século 19, os camelos não têm predadores naturais no país e se reproduziram como praga. Os australianos acreditam que parte do desequilíbrio ambiental que provocou incêndios florestais devastadores, em 2019, pode ser colocado na conta da população de 1 milhão de camelos que perambula pelo deserto em busca de água. Sabendo disso, o empresário de Zawiya viu uma boa oportunidade de negócio.

Normalmente, os líbios importam os animais do Sudão – além de meio de transporte, a carne de camelo é bastante apreciada na Líbia. E os bichos australianos estavam a preço de banana, segundo o comerciante de Trípoli que intermediou a transação.  O carregamento chegou na terça-feira, 18, ao porto da capital, mas não puderam ser desembarcados em razão do fogo cruzado trocado entre forças leais ao governo e as tropas rebeldes do general Khalifa Haftar, que cercam a cidade há mais de dez meses.

Foi então que o dono do rebanho tomou uma decisão radical: decidiu não esperar pelos caminhões para fazer o transporte dos camelos e mandou conduzir os 3 mil animais pelas ruas da capital até a autoestrada que leva a Zawiya. Na noite de quarta-feira, 19, os habitantes de Trípoli se surpreenderam com uma fila de camelos marchando por onde ultimamente passavam apenas blindados.

A Reuters acompanhou a marcha dos camelos na noite de Trípoli e testemunhou a voracidade com que os animais procuravam comida à beira da estrada, que havia sido temporariamente fechada pelas forças de segurança para que eles pudessem passar. Surpresos, alguns pedestres esqueceram o conflito e fizeram piada com o governo, dizendo que as autoridades haviam trazido camelos para substituir o transporte público, interrompido pela falta de gasolina.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.