Câmera vigiou promotor na chegada à Argentina

MP abre outra frente de investigação por gravação de aeroporto que se fixou em Nisman no dia 12, seis dias antes da morte

Rodrigo Cavalheiro, de Buenos Aires / Correspondente, O Estado de S. Paulo

03 de fevereiro de 2015 | 19h52

BUENOS AIRES - O promotor federal Guillermo Marijuan apresentou ontem uma denúncia em que pede a investigação sobre o monitoramento por câmeras do Aeroporto de Ezeiza ao promotor Alberto Nisman no dia 12, quando ele chegou da Espanha, onde visitou uma filha.

Imagens divulgadas pelo canal C5N mostram o promotor na retirada de bagagens, enquanto uma câmera posicionada no alto de uma das esteiras o segue. As cenas foram gravadas seis dias antes da morte.

Segundo Marijuan, Nisman não poderia ser vigiado sem uma ordem judicial. “Não são imagens gerais de um setor do aeroporto. Elas enquadram particularmente Nisman, que estava de licença e voltava de uma viagem familiar”, diz o promotor em seu pedido.

Questionado se as gravações poderiam ser de autoria do serviço secreto, reformado pela presidente Cristina Kirchner há uma semana, ele respondeu que isso é possível, mas as câmeras são responsabilidade de uma concessionária.

Por coincidência, a denúncia de Marijuan foi distribuída para Rodolfo Canicoba Corral, o juiz do caso Amia.

Dias antes da morte de Nisman, Canicoba criticou a denúncia contra a presidente e garantiu não ter ordenado as escutas feitas pela equipe de Nisman. Para o juiz, o promotor deixou que o serviço secreto argentino conduzisse a investigação. Outros juristas contestaram o embasamento da denúncia de Nisman. Também por isso, ele prestaria esclarecimentos ao Congresso no dia 19.

Foram designados ontem os peritos particulares que a ex-mulher do promotor, Sandra Arroyo Salgado, solicitou para acompanhar a varredura em computadores, tablets e nos três celulares de Nisman. Um do peritos é Osvaldo Raffo, um dos mais renomados do país. Não deve ser possível ter acesso ao conteúdo das chamadas, mas a promotoria espera descobrir com quem Nisman falou ou trocou mensagens momentos antes de morrer.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaAlberto Nisman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.