Cameron defende suspensão de sanções a Mianmar

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, defendeu nesta sexta-feira que as sanções impostas a Mianmar pela União Europeia sejam suspensas, embora não totalmente canceladas, e que se mantenha a proibição de venda de armas ao país.

AE, Agência Estado

13 de abril de 2012 | 11h20

"O gesto demonstrará ao regime (de Mianmar) que respeitamos e damos boas-vindas ao progresso que foi feito em relação aos prisioneiros políticos, à liberdade política, mas trata-se de suspensão, e não cancelamento, de maneira que, se esse progresso não for irreversível, as sanções poderão voltar a valer", afirmou Cameron durante coletiva de imprensa, ao lado do líder da oposição do país, Aung San Suu Kyi.

Cameron chegou hoje a Mianmar para a primeira visita de um líder ocidental ao país nas últimas décadas, num momento em que potências mundiais consideram levantar as sanções contra o regime local. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
MianmarCameronvisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.