John Stillwell/AFP
John Stillwell/AFP

Cameron deve aceitar reformas da UE para que britânicos queiram ficar no bloco

Se premiê conseguir convencer população a votar a favor da manutenção da Grã-Bretanha no bloco, referendo deverá acontecer em junho

O Estado de S. Paulo

15 de fevereiro de 2016 | 09h55

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, deve aceitar nesta semana, em uma cúpula em Bruxelas, as reformas oferecidas pela União Europeia (UE) para convencer os britânicos que votem a favor de sua manutenção no bloco.

Se assim for, Cameron poderia realizar um referendo sobre a permanência na UE em junho. Este seria um marco nas relações complicadas entre Londres e o bloco.

O premiê havia prometido aos britânicos negociar uma série de mudanças no relacionamento da Grã-Bretanha com a UE antes de realizar um referendo.

A demanda mais polêmica de Cameron é a de que imigrantes do bloco europeu deveriam ser elegíveis para receber benefícios para trabalhadores apenas depois de passarem quatro anos na Grã-Bretanha. A proposta, à qual o primeiro-ministro diz ser necessária para ajudar a conter o fluxo de imigrantes para o país, tem sido vista por muitos políticos como discriminatória.

O premiê se reunirá nesta segunda-feira, 15, com o presidente da França, François Hollande, em Paris em preparação para as discussões do encontro em Bruxelas.

A França afirmou que nenhum acordo deve atrapalhar a capacidade da zona do euro de tomar decisões em uma crise financeira ou dar à Grã-Bretanha poder de veto sobre as decisões da união monetária. Autoridades em Paris também dizem que qualquer mudança não pode violar os princípios fundadores da UE, como a liberdade de movimento. /AFP e DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.