Parbul TV via Reuters TV/Reuters
Parbul TV via Reuters TV/Reuters

Cameron diz que Coulson é 'inocente até que se prove o contrário'

Ex-chefe de imprensa do premiê é acusado de envolvimento no caso das escutas ilegais

Efe

20 de julho de 2011 | 08h10

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, indicou nesta quarta-feira, 20, que seu ex-chefe de imprensa Andy Coulson deve ser processado se ficar provado seu envolvimento nas escutas ilegais, mas insistiu que "toda pessoa é inocente até que prove em contrário".

 

Cameron fez nesta quarta-feira uma declaração diante dos Comuns em relação ao escândalo dos grampos telefônicos do extinto tabloide "News of the World", do qual foi diretor seu ex-chefe de imprensa Andy Coulson entre 2003 e 2007, época em que ocorreram as interceptações.

 

Diante de um Parlamento beligerante, reunido em caráter de urgência por causa do escândalo que afeta políticos, Polícia e imprensa, o premiê insistiu que a responsabilidade pela contratação de Coulson foi "decisão" sua, mas lamenta "todo o furor causado".

 

Leia mais:

lista ENTENDA: O escândalo dos grampos na Inglaterra

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.