Cameron diz que não haverá reunião do G-8 na Rússia

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou que não haverá a reunião do G-8 na Rússia que estava marcada para junho por causa da intervenção do país na Ucrânia.

AE, Agência Estado

24 de março de 2014 | 15h45

Cameron, o presidente dos EUA, Barack Obama, e outros líderes do G-7 - que também inclui França, Alemanha, Itália, Japão e Canadá - vão se reunir paralelamente à cúpula de cooperação nuclear que está sendo realizada em Haia, na Holanda, para discutir a situação da Ucrânia. O G-8 foi formado quando a Rússia entrou para o grupo, em 1998.

"Devemos deixar claro que não haverá uma reunião do G-8 este ano na Rússia", disse Cameron à rede de televisão BBC quando perguntado se é o momento de excluir a Rússia do grupo. "Nós vamos nos reunir esta noite, os outros sete países do G-8, para determinar que caminho seguiremos. Mas, francamente, é a Rússia que precisa mudar de rumo", afirmou.

O presidente Obama teria pedido que a Rússia fosse expulsa do G-8. Os países do G-7 já suspenderam os preparativos para a reunião que seria realizada em Sochi, na Rússia, em junho, e Cameron disse estar preocupado com os relatos de que as forças militares da Rússia na fronteira com a Ucrânia estão aumentando.

"Esses relatos são preocupantes e nós precisamos enviar uma mensagem clara para o governo russo e para o presidente Vladimir Putin de que será completamente inaceitável se aprofundar na Ucrânia e de que isso vai gerar mais sanções da União Europeia, dos EUA e de outros países", disse Cameron. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
G-8RÚSSIACAMERONSANÇÕESOBAMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.