AFP
AFP

Grã-Bretanha acolherá milhares de refugiados sírios, diz Cameron

Decisão representa uma mudança na atuação da Grã-Bretanha na crise de imigração na Europa, diante da pressão pública

O Estado de S. Paulo

04 Setembro 2015 | 08h57

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou nesta sexta-feira, 4, que seu país acolherá milhares de refugiados sírios. A decisão representa  uma mudança na atuação da Grã-Bretanha na crise de imigração na Europa, diante da pressão pública.

"Diante da escala da crise e do sofrimento das pessoas, eu anuncio hoje que faremos mais, dando abrigo a milhares de outros refugiados sírios", afirmou Cameron, após se reunir com o primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho. O líder britânico acrescentou que seu governo discutirá o número exato com seus parceiros e acertará mais detalhes na próxima semana.

"Nós continuaremos com nossa abordagem de levá-los aos campos de refugiados. Isso dá a eles uma rota mais direta e segura para a Reino Unido, em vez de se arriscarem em uma jornada perigosa, que tem um custo tráfico de tantas vidas", afirmou. O anúncio marca uma importante mudança para Cameron, que dois dias antes disse que receber mais refugiados da Síria não seria a resposta para a crise. A Alemanha e outros países da União Europeia disseram que ofereceriam refúgio a milhares fugindo da guerra síria.

Políticos britânicos, inclusive do Partido Conservador do premiê, vinham pedindo mais ações no caso. Uma petição pública sobre o tema recebeu mais de 230 mil assinaturas até esta sexta-feira, superando a marca de 100 mil para que o assunto fosse debatido no Parlamento.

Cameron visita Lisboa e Madri para discutir sua agenda de reformas para a UE. Isso pode, porém, ficar à margem, diante da crise imigratória no bloco. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.