Cameron exige que Rússia pare de apoiar separatistas

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, exige que a Rússia acabe com o seu apoio aos rebeldes na Ucrânia, argumentando que as políticas de Moscou desestabilizaram o país e criaram as condições que parecem ter levado à queda do voo MH17, da Malaysia Airways.

AE, Agência Estado

20 de julho de 2014 | 08h37

Em um raro artigo de primeira página no Sunday Times, Cameron disse que há evidências crescentes de que os rebeldes separatistas, apoiados pela Rússia, derrubaram a aeronave, matando 298 pessoas.

Cameron afirmou que "se este for o caso, então é preciso deixar claro o que isso significa: é um resultado direto da desestabilização de um Estado soberano pela Rússia, violando a sua integridade territorial, ao apoiar, treinar e armar milícias". Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaAviãoReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.