Anmar Khalil/AP
Anmar Khalil/AP

Caminhão-bomba do Estado Islâmico mata 47 pessoas ao sul de Bagdá

BAGDÁ - O Estado Islâmico reivindicou a autoria de um ataque suicida com um caminhão carregado de explosivos em um posto de controle da polícia iraquiana na entrada da cidade de Hilla, ao sul de Bagdá, matando pelo menos 47 pessoas e ferindo mais de 70, disseram autoridades médicas e de segurança.

Reuters, O Estado de S. Paulo

06 de março de 2016 | 12h07

A responsabilidade foi reivindicada em uma postagem no site da agência de notícias Amaq, que apoia o Estado Islâmico.

"Uma operação de mártir com um caminhão-bomba atingiu o posto de controle das ruínas da Babilônia na entrada da cidade de Hilla, matando e ferindo dezenas", diz o comunicado na página da Amaq.

Hilla é a capital da província Babilônia, região predominantemente xiita, com alguma presença sunita.

Mais de 60 pessoas foram levadas a hospitais próximos, disse, sem revelar quantas delas foram mortas.

"É a maior explosão na província até o momento", afirmou à Reuters Falah al-Radhi, chefe do comitê de segurança da província.

"O posto de controle e a delegacia de polícia próxima foram destruídos, assim como algumas casas e dezenas de carros."

Um funcionário do hospital da província confirmou o número de vítimas, muitas delas com ferimentos de queimaduras.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueBagdáataqueestado islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.