Caminhão-bomba mata pelo menos 19 no norte do Iraque

Um suicida em um caminhão-bomba realizou um ataque em uma vila curda no norte do Iraque, antes do amanhecer desta quinta-feira, matou pelo menos 19 pessoas e feriu mais 30, segundo autoridades. Nenhum grupo reivindicou até o momento a autoria do ataque. Um policial e um funcionário do setor de saúde em Mossul relataram que a bomba explodiu a 0h30 (hora local), na vila de Wardek, 55 quilômetros a sudeste da cidade. Comandantes norte-americanos advertiram que insurgentes aparentemente tentam iniciar um conflito entre árabes e curdos nessa área. As fontes falaram sob condição de anonimato.

AE-AP, Agencia Estado

10 de setembro de 2009 | 09h13

Forças de segurança locais dispararam contra o motorista, quando ele se recusou a parar, mas o suicida ainda conseguiu detonar o artefato. Um segundo suicida foi morto antes que conseguisse detonar os explosivos em outro caminhão. Aproximadamente 250 famílias vivem em Wardek, a maioria xiitas curdos de uma pequena seita religiosa. "Eu estou certo de que fomos atacados por extremistas da Al-Qaeda, pois eles nos consideram renegados", afirmou o morador Haso Narmo, de 53 anos.

A violência continua a marcar presença no norte do Iraque e em Bagdá, levando as autoridades a reforçarem a segurança nesses locais. Os Estados Unidos e o Iraque identificaram as diferenças entre a maioria árabe e a minoria curda como um possível fator de ameaças de longo prazo, maior até que as divergências entre sunitas e xiitas.

No centro dessa disputa está a cidade de Kirkuk, rica em petróleo, bem como vilas na província de Nínive, entre elas Wardek, que os curdos querem incorporar em sua área semiautônoma. Árabes e a minoria turcomana se opõem a isso. Em outro incidente, três bombas explodiram em um popular mercado em Mahmoudiya, matando quatro pessoas, segundo um militar iraquiano. A cidade fica a 30 quilômetros ao sul da capital.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraquecaminhão-bombaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.