Caminhões-bomba matam 175 em reduto de seita curda

Atentado, um dos piores desde 2003, ocorre em comunidade yazidi perto de Mossul

AP e Reuters, Bagdá, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2015 | 00h00

Pelo menos 175 pessoas morreram ontem em atentados múltiplos em áreas residenciais da seita curda yazidi, perto de Mossul, no norte do Iraque, num dos piores ataques no país desde a invasão americana, em 2003. O número de explosões ainda não era claro até a madrugada de hoje - a polícia local informou apenas três, mas o Exército iraquiano assegura que foram quatro.Segundo informações da polícia, três suicidas detonaram três caminhões de combustíveis cheios de explosivos em Qahtaniya, Al-Jazira e Tal-Uzair. A força das explosões destruiu vários prédios. A polícia de Mossul afirmou que helicópteros do Exército americano estavam ajudando na remoção dos mais de 200 feridos para hospitais da cidade de Tal-Afar. Televisões locais pediam que a população doasse sangue. Autoridades disseram que o número de mortos deve aumentar. Nenhum grupo assumiu a autoria dos atentados, mas especialistas indicaram que eles têm características de ataques organizados pela Al-Qaeda. Em novembro, a explosão de seis carros-bomba no bairro xiita de Cidade Sadr, em Bagdá, deixou 202 mortos e 250 feridos. Em abril, 191 iraquianos morreram perto da capital iraquiana em vários atentados em série.Os yazidis são membros de uma antiga seita curda que surgiu há mais de 4 mil anos e tem cerca de 75 mil seguidores apenas no Iraque. Em abril, 23 yazidis foram executados por extremistas sunitas em Mossul, num ataque considerado uma retaliação à morte de uma jovem yazidi que se havia convertido ao Islã após ter-se apaixonado por um sunita. A jovem foi forçada pela família a voltar para sua cidade, onde foi apedrejada até a morte.SEQÜESTROEm Bagdá, mais de 50 militantes iraquianos em veículos militares oficiais entraram no complexo do Ministério do Petróleo e seqüestraram o vice-ministro Abdel-Jabar al-Wagaa e outros quatro funcionários. Uma fonte do Ministério do Interior disse que os quatro seriam empregados da companhia iraquiana State Oil Marketing Organization. Ao norte de Bagdá, um caminhão-bomba destruiu uma ponte, que ligava um trecho da estrada principal entre Bagdá e Mossul. Segundo a polícia, o atentado deixou 10 mortos. Três ônibus, um caminhão e vários carros que passavam pela ponte no momento da explosão foram lançados no Rio Tigre. Em Kirkuk, a polícia encontrou ontem os corpos de dois iraquianos seqüestrados quando viajavam de Mossul para Bagdá. Um helicóptero CH-47 Chinook dos EUA caiu ontem durante um teste de manutenção nos arredores da base militar americana de Taqaddum, perto de Bagdá. Os cinco ocupantes do helicóptero morreram. As mortes elevaram o número de soldados americanos mortos até agora no Iraque para pelo menos 3.700. QUEM SÃO OS YAZIDIS Comunidades: De etnia curda, os yazidis vivem no norte do Iraque, a maioria na região de Mossul Origem: O yazidismo é uma seita pré-islâmica que venera como manifestação de Deus o anjo-pavão, chamado Malek Taus - mas identificado por muçulmanos e cristãos como satã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.