''''Camp Obama'''' treina partidários de democrata

Em acampamento, jovens fazem imersão na filosofia do senador americano

Patrícia Campos Mello, COLUMBUS, OHIO, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

Trata-se de um acampamento diferente - nada de fogueira, barracas ou violão. No Camp Obama, grupos de universitários e jovens profissionais fazem uma imersão de 2 a 4 dias para aprender a melhor estratégia para angariar votos para Barack Obama. Devidamente treinados na filosofia do senador, esses eleitores seletos voltam a suas cidades para organizar seus exércitos de voluntários.No treinamento do Camp Obama, os voluntários aprendem a falar com os eleitores para identificar quais são as questões que os preocupam e mostrar "como Obama vai mudar sua vida".O advogado Marc Nichols participou do Camp Obama em outubro. Foram dois dias de treinamento intenso em um prédio em Washington D.C., com cerca de 150 participantes. Ele conta que, no primeiro dia, integrantes da campanha de Obama esclarecem aos voluntários as propostas do senador. No segundo dia, cada voluntário deve preparar um discurso para explicar por que escolheu Obama. "Precisamos dizer quando o descobrimos e porque achamos que ele será um bom presidente", diz Nichols. "Fiz um discurso dirigido a republicanos, explicando porque eles deveriam votar em Obama", conta. Nichols estava em Columbus para bater na porta de eleitores e monitorar a votação de ontem na cidade.O Camp Obama também ajuda a conectar os fãs do senador. Depois de participar do acampamento, o economista Aaron Cobet resolveu organizar seus próprios eventos de arrecadação de recursos. Começou a dar aulas de culinária em sua própria cozinha, cobrando US$ 150 de amigos. Arrecadou US$ 1,5 mil. Os Camp Obama são organizados em vários Estados americanos. Em Illinois, foram feitos Camp Obama só para jovens. Eles passavam dois dias dentro de um prédio e outros dois no campo, aprendendo a como abordar os eleitores pelo telefone, a bater de porta em porta e recrutar outros voluntários.Não é fácil ser aceito no Camp Obama. No de Illinois, em junho, houve 1.200 candidatos para 350 vagas.Conservadores criticam o espírito do acampamento, dizendo que se trata de lavagem cerebral. "É como acampamento de doutrinação de evangélicos", acusa um blogueiro conservador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.