Campanha começa na Venezuela com queda de aprovação de Chávez

Popularidade de líder venezuelano está em 37%; pesquisas de voto põem oposição na frente de candidatos chavistas

AFP, AP e Reuters, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

CARACAS

A campanha eleitoral para as eleições legislativas de 26 de setembro começou ontem com o presidente Hugo Chávez em baixa entre os venezuelanos. Segundo pesquisa da consultoria Keller e Associados, a popularidade do líder venezuelano caiu para 37%, uma das mais baixas dos últimos anos. Os candidatos chavistas contam com o apoio de 32% dos eleitores, contra 46% de candidatos da oposição.

Há um ano, Chávez aparecia com 57% de aprovação, bem abaixo dos 71% alcançados em 2005. O presidente enfrentou uma queda de popularidade semelhante entre os anos 2002-2003, período em que o país viveu uma grave crise política e econômica, que culminou no golpe fracassado de abril de 2002. A redução na aprovação de Chávez coincide ainda com o processo de contração da economia e o crescimento acelerado da inflação, que levaram o país ao pior desempenho econômico da região.

Pesquisa do instituto Consultores 21 aponta que o apoio ao presidente venezuelano é maior apenas entre a classe E (60%), enquanto Chávez perdeu o apoio dos demais setores, incluindo as classes média e baixa (C e D). Os números são reflexo da insatisfação popular com a inflação, o racionamento elétrico, a criminalidade e os cortes nos programas sociais.

Apesar dos resultados das pesquisas, Chávez deve entrar com toda a força na campanha para garantir a maioria do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) na Câmara. O pesquisador Alfredo Keller enfatizou que, nessas eleições, "é possível que o governo obtenha maioria de deputados, apesar de conseguir menos votos que a oposição, por causa de uma modificação da lei eleitoral".

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) mudou em janeiro a composição das circunscrições eleitorais e a distribuição de deputados em oito Estados governados pela oposição. A votação será também um termômetro do respaldo popular ao presidente com vistas à eleição presidencial de 2012, quando Chávez buscará sua terceira reeleição desde que chegou ao poder, há 11 anos.

PROBLEMAS

Economia: Apesar da grande produção de petróleo, a situação econômica da Venezuela vem se deteriorando

Violência: Alto índice de homicídios e ineficiência da polícia são um grande

problema para o presidente

Liberdade de expressão: Medidas implementadas por Chávez tentam restringir a atuação de jornais, emissoras de rádio e TV do país

Racionamento: Ações para conter o uso de energia enfraqueceram o apoio ao presidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.