Campanha no Legislativo move fortunas

Tanto quanto na disputa presidencial, o dinheiro corre solto nas campanhas para o Congresso dos Estados Unidos. Políticos e empresas criadas para apoiar as candidaturas dos dois partidos têm-se desdobrado para arrecadar fundos para financiar a propaganda nas redes de rádio e de televisão dos candidatos ao Senado e à Câmara. Essa disputa movimenta centenas de milhões de dólares.

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h07

"Os grandes vencedores destas eleições serão as emissoras locais de televisão", ironiza o analista político conservador Norman Ornstein.

Na corrida pelas vagas no Senado em Ohio, Virgínia e Wisconsin, os republicanos já derramaram US$ 79 milhões em propagandas para seus candidatos. Nos EUA não há, como no Brasil, horário gratuito nas redes de rádio e de TV.

Os democratas desembolsaram US$ 31 milhões. O senador Harry Reid, de Nevada, tem ainda mais quatro anos de mandato, mas corre o país para arrecadar fundos para os candidatos de seu partido.

O prefeito de Chicago, Rahm Emanuel, deixou a presidência da campanha de reeleição de Barack Obama, no final de agosto, para levantar dinheiro para o partido e seus candidatos. O mesmo tem feito o republicano John Boehner, presidente da Câmara e também na disputa para preservar seu posto. Apenas em agosto, Boehner arrecadou US$ 4 milhões.

Nesse jogo, um dos protagonistas é Karl Rove, assessor de George W. Bush na Casa Branca, um dos mentores do Tea Party e principal responsável pela reconquista da maioria das cadeiras da Câmara pelos republicanos na eleição de 2010.

Rove comanda a Crossroad GPS, empresa dedicada a arrecadar fundos e aplicá-los na propaganda eleitoral de seus candidatos. A empresa dispõe de pelo menos US$ 70 milhões e, como afirmou Rove, tem o objetivo de contribuir para a retomada do Senado pelos republicanos. / D. C. M

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.