Reuters/Dado Ruvic
Reuters/Dado Ruvic

Canadá aprova vacina da Pfizer e deverá começar a imunizar na próxima semana

País é o terceiro, depois do Reino Unido e do Bahrein a fazer a aprovação, e tem um pedido para 20 milhões de doses, com opção de compra de até 56 milhões a mais

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2020 | 16h46

TORONTO - O Canadá aprovou nesta quarta-feira, 9, a primeira vacina para a covid-19, abrindo caminho para que as doses produzidas pela Pfizer e BioNTech sejam distribuídas e administradas em todo o país. O país é o terceiro, depois do Reino Unido e do Bahrein, a dar luz verde à imunização e já havia sinalizado que pode começar a campanha na próxima semana

O Canadá tem um sistema temporário de revisão acelerada de medicamentos muito semelhante às autorizações de uso de emergência da Agência de Medicamentos e Alimentos dos Estados Unidos (Food and Drug Administration, FDA, na sigla em inglês) dos .

“A aprovação da vacina é apoiada por evidências de que é segura, eficaz e de boa qualidade”, disse a agência reguladora Health Canada em um comunicado. A vacina foi inicialmente autorizada para uso em pessoas com 16 anos de idade ou mais.

A notícia chega um dia antes de um painel de consultores do FDA revisar e recomendar se a agência dos EUA deve autorizar o uso da vacina Pfizer, e um dia depois de os cidadãos do Reino Unido se tornarem os primeiros no mundo a tomar as vacinas fora dos testes clínicos.

O Canadá receberá um embarque antecipado de até 249 mil doses da vacina da Pfizer este ano. A província de Saskatchewan disse na quarta-feira que espera receber doses suficientes para 1.950 pessoas até terça-feira para inocular profissionais de saúde em contato direto com pacientes contaminados pela covid-19.

“A decisão de hoje da Health Canada é um momento histórico em nossa luta coletiva contra a pandemia e é um grande passo para o retorno à normalidade no Canadá”, disse Cole Pinnow, presidente da Pfizer Canada, em um comunicado.

O premier de Quebec, François Legault, disse que a vacina recém-aprovada ajudará a aliviar a pressão sobre a hospitais congestionados da província quando pessoas vulneráveis, como profissionais de saúde, junto com residentes de lares de idosos e cuidados de longa duração instalações forem inoculados.“Assim que esses três grupos forem vacinados, a situação vai melhorar muito ", disse ele a repórteres. Quebec espera 55.000 doses da vacina a partir de agora até o dia 4 de janeiro e 1,3 milhão de doses de agora até 31 de março.

Canadá pode receber até 76 milhões de doses da vacina da Pfizer

O Reino Unido, em 2 de dezembro, foi o primeiro a aprovar a vacina de duas doses da Pfizer, que foi 95% eficaz na prevenção de doenças em um grande ensaio clínico.

A Pfizer é responsável pelo envio de sua vacina, que requer armazenamento ultrafrio, para armazéns em todo o Canadá. O país tem um pedido de 20 milhões de doses da vacina, o suficiente para inocular 10 milhões de pessoas, com opção de compra de até 56 milhões a mais.

Na maior parte, os sistemas de saúde provinciais e territoriais administrarão a vacina, gratuitamente, em todo o país. Eles terão a palavra final sobre como usar os escassos suprimentos iniciais em suas jurisdições.

De acordo com a orientação preliminar publicada pelo governo federal no início de novembro, as pessoas vulneráveis ​​e aqueles que cuidam delas têm alta prioridade, incluindo residentes de longa permanência e alguns profissionais de saúde.

Os reguladores receberam aplicações contínuas para três outras vacinas experimentais, da Moderna Inc, AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Destas, a vacina da Moderna está mais adiantada, tendo completado testes essenciais que mostram que é 94,1% eficaz na prevenção de doenças e 100% na prevenção de covid-19 grave.

Autoridades disseram que esperam receber seis milhões de doses das vacinas Pfizer e Moderna antes do final de março de 2021. Cada vacina requer duas doses administradas com cerca de três semanas de intervalo. /AFP, Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.