Canadá condena líder de plano extremista à prisão perpétua

Zakaria Amara planejava explodir três caminhões-bomba no país e decapitar o premiê.

BBC Brasil, BBC

18 de janeiro de 2010 | 21h45

A Justiça do Canadá condenou à prisão perpétua, nesta segunda-feira, um dos organizadores de um plano para explodir três caminhões-bomba no leste do país.

Zakaria Amara, 24 anos de idade, estava preso desde 2006. Em outubro passado, ele se declarou culpado de liderar o grupo islâmico chamado Toronto 18.

Os alvos do grupo incluíam uma base militar e a bolsa de valores da cidade de Ottawa. Além disso, os extremistas pretendiam ainda invadir o Parlamento do Canadá e decapitar o primeiro-ministro do país.

No julgamento, determinou-se que Amara aprendeu a fazer as bombas com fertlizantes que seriam usadas nos ataque pela internet.

A policia canadense fez um teste detonando uma bomba similar à que o grupo pretendia usar e afirmou que a explosão teria o potencial de matar centenas de pessoas.

O juiz Bruce Durno, que anunciou a sentença, afirmou que Amara "planejou o crime mais horrível da história do Canadá"

Na semana passada, durante a audiência de indiciamento, Amara leu uma carta ao povo canadense na qual se diz arrependido e reabilitado da ideologia extremista.

Das 18 pessoas presas em 2006, sete tiveram suas acusações retiradas, cinco aguardam o início de seus julgamentos, uma foi condenada a 12 anos de prisão e outras estão sendo julgadas. Cinco ainda aguardam o início do julgamento.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
canadaottawaislamismoZakaria Amara

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.