Canadá confirma intenção de anular casamentos homossexuais

O ministro da Justiça do novo governo conservador do Canadá, Vic Toews, confirmou nesta quarta-feira que os deputados canadenses votarão "muito em breve" para anular a lei que aprovou o casamento homossexual no ano passado. O Partido Conservador prometeu durante sua campanha eleitoral uma votação no Parlamento para anular a lei aprovada pelo governo anterior, do Partido Liberal, e voltar a definição clássica de matrimônio como a união entre um homem e uma mulher. Em julho de 2005, o Canadá tornou-se o quarto país do mundo - depois de Holanda, Bélgica e Espanha - a legalizar o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo depois de anos de resoluções judiciais que afirmavam que a definição tradicional de matrimônio era inconstitucional. Desde então, milhares de casais do mesmo sexo, canadenses ou não, aproveitaram para celebrar seus casamentos, o que pode criar problemas para os conservadores que querem anular a lei que legaliza as uniões. Ainda que o Partido Conservador controle apenas 125 das 308 cadeiras do Parlamento, durante a legislatura passada, várias dezenas de deputados liberais votaram contra a aprovação da lei. O ministro Toews também assinalou um giro de 180º na política de seus antecessores, que pretendiam legalizar o uso da maconha no país. "Estamos em minoria no Parlamento. Temos muitas coisas ambiciosas que queremos fazer. A legalização da maconha simplesmente não é uma dessas prioridades", concluiu.

Agencia Estado,

05 Abril 2006 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.