Canadá deporta homem acusado de ser ´espião russo´

O Canadá deportou para a Rússia um homem que viveu dez anos no país passando-se por um canadense acusando-o de espiar para Moscou. O homem, que assumiu a identidade de Paul William Hampel, deixou o Canadá nesta terça-feira de manhã.De acordo com os documentos apresentados na Corte Federal, em Montreal, o serviço de inteligência canadense acredita que o homem era um integrante do Serviço Externo de Inteligência, a agência sucessora da soviética KGB.O homem foi preso tentando embarcar no aeroporto de Montreal com uma certidão de nascimento falsa no último dia 14 de novembro. Ele confessou sua cidadania russa no início do mês e, em troca da admissão, um juiz concordou em proteger o seu nome verdadeiro depois que ele alegou temer pela sua vida e pela segurança de sua família. Apesar da acusação de espionagem, o ministro de Segurança Pública canadense, Stockwell Day, rejeitou a idéia de que o caso possa prejudicar as relações entre o Canadá e a Rússia. "Nós entendemos que essas coisas acontecem no mundo, e os russos também entendem isso", afirmou Day. "Isso não vai prejudicar as relações entre os dois países". As acusações de espionagem são as primeiras desde 1996, quando o Canadá expulsou Dmitriy Olshevsky e Yelena Olshevskaya, que haviam adotado os nomes de Ian e Laurie Lambert, pelo mesmo motivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.