Canadá diz que libertação de jornalista da Al-Jazeera é 'iminente'

OTTAWA - O ministro de Relações Exteriores do Canadá, John Baird, afirmou nesta segunda-feira que a libertação do jornalista Mohamed Fahmy, que tem dupla nacionalidade canadense e egípcia, é "iminente". Falando para a mídia canadense, Baird não quis dar, entretanto, uma data exata para a libertação do jornalista do canal de TV catarino Al-Jazeera.

O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2015 | 21h12

Fahmy foi preso junto com o colega Peter Greste, jornalista australiano que foi liberado no fim de semana pelo governo do Egito. Os dois e o egípcio Baher Mohammed foram presos em 2013 e depois condenados pela cobertura feita à repressão violenta de protestos no Egito.

De acordo com o irmão de Fahmy, Adel, as autoridades egípcias deram a ele uma escolha: "renunciar à nacionalidade ou à liberdade."

"Foi uma decisão muito difícil. Mohamed tem muito orgulho e vem de uma família patriótica de oficiais e militares de alta patente, que defenderam o país e lutaram suas guerras", disse.

Segundo o irmão, alguns membros da família ficaram ofendidos pela decisão, e não quiseram nem ao menos dizer adeus a ele. / ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
CanadáEgitojornalista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.