TOBY MELVILLE|REUTERS
TOBY MELVILLE|REUTERS

Canadá e países da América do Sul suspendem voos do Reino Unido após mutação do coronavírus

Argentina, Chile, Colômbia e Peru seguem iniciativa de nações europeias, que discutirão resposta coordenada a restrições de viagens aéreas para território britânico

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2020 | 12h01

BUENOS AIRES — Seguindo a iniciativa de diversos países europeus, os governos de Argentina, Canadá, Chile, Colômbia e Peru anunciaram no domingo, 20, e na segunda, 21,  em declarações separadas, que pretendem suspender todos os voos do Reino Unido devido ao avanço de uma cepa mais contagiosa do coronavírus em território britânico.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou no último sábado que uma nova cepa do coronavírus havia levado a um aumento no número de infecções. O governo endureceu o lockdown em algumas regiões do país para o nível 4, o mais alto. Com as novas medidas, moradores devem ficar em casa, com isenções limitadas. Lojas, academias, locais de lazer e de cuidados pessoais serão fechados.

O Ministério do Interior da Argentina disse em seu comunicado que o último voo do Reino Unido para o país sul-americano deve chegar a Buenos Aires na manhã de segunda-feira. Os passageiros e a tripulação terão que cumprir quarentena de sete dias.

O governo do Chile, por sua vez, disse que estrangeiros não residentes que estiveram no Reino Unido nos últimos 14 dias serão proibidos de entrar no país. A medida entrará em vigor à meia-noite de terça-feira e durará duas semanas, informou o comunicado chileno.

O presidente colombiano Iván Duque afirmou, em um evento público, que todos os voos de e para o Reino Unido estariam suspensos a partir de segunda-feira. Cidadãos da Colômbia, estrangeiros residentes no país e diplomatas podem ingressar no território nacional, mas devem se manter isolados por 14 dias, assim como as pessoas que visitaram o Reino Unido depois de 12 de dezembro.

Segundo Duque, a suspensão dos voos visa "evitar o surgimento dessa nova cepa na Colômbia". A ampla disseminação da covid-19 fez o governo de Bogotá anunciar este domingo medidas de restrição de circulação a seis 8 milhões de habitantes.

No Peru, o Ministério dos Transportes e Comunicações afirmou, em sua conta no Twitter, que, “como medida preventiva, não autorizamos voos diretos ou voos com escala no Reino Unido até novo aviso”.

O governo frisou que "não houve voos procedentes de Londres e do Reino Unido" desde que o país retomou, no dia 15 de dezembro, os voos internacionais para a Europa. Os primeiros passageiros vieram de Madrid, Barcelona e Amsterdã.

O Canadá decidiu suspender os voos de passageiros do Reino Unido por 72 horas a partir da meia-noite de domingo. Em nota, o país afirmou que a medida foi tomada devido "ao grande número de casos de uma variante da Covid-19 observada em algumas áreas do Reino Unido".

Durante o dia, os governos de Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Irlanda, Itália e Holanda anunciaram a suspensão de conexões aéreas e, em alguns casos, das conexões marítimas e ferroviárias com o Reino Unido.

Embaixadores da União Europeia realizarão nesta segunda-feira uma reunião de crise em Bruxelas para abordar as restrições, depois que a Espanha pediu uma resposta coordenada da Europa em relação aos voos./ AFP, EFE E REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.