Canadá encerrará busca por passageiros de helicóptero

Equipes de resgate canadenses informaram hoje que não há evidências de mais sobreviventes da queda de um helicóptero na costa do Atlântico em Terra Nova e Labrador. As buscas serão encerradas na noite de hoje, um dia depois de a aeronave ter caído no mar com 18 pessoas a bordo. Ontem, um sobrevivente e o corpo de outra pessoa foram encontrados depois de o Sikorsky S-92 ter emitido um pedido de socorro e caído a 50 quilômetros da costa. O helicóptero se dirigia para uma plataforma de petróleo.

AE-AP, Agencia Estado

13 de março de 2009 | 19h22

Os encarregados da operação mantiveram esperanças de encontrar sobreviventes, pois as pessoas estariam com coletes salva-vidas no momento do acidente. O material pode ajudar a manter a temperatura do corpo, apesar das águas geladas. "Como até agora não há pessoas que tenhamos localizado, aparentemente não há sobreviventes", afirmou o major Denis McGuire, do Centro de Coordenação de Resgate Conjunto, durante coletiva de imprensa.

McGuire disse que as buscas serão encerradas e o caso será transferido como operação de recuperação para a polícia e para o Departamento de Transportes do Canadá. Ele disse que as famílias dos desaparecidos estão "muito agitadas", mas entendem que praticamente não há chances de sobrevivência depois de mais de 24 horas no oceano. O investigador-chefe do Comitê de Segurança nos Transportes, Mike Cunningham, disse que o helicóptero será içado do fundo do oceano, numa operação que pode demorar cerca de uma semana.

As equipes de resgate trabalharam durante todo a noite com a ajuda de óculos de visão noturna, mas não encontraram sinais dos desaparecidos. O período de sobrevivência é de cerca de 24 horas com o uso de coletes e localizadores ativados, mas McGuire afirmou que não houve recebimento de sinais dos localizadores. Ele reconheceu que as equipes de resgate têm menos possibilidade de encontrar pessoas agora que mais de 24 horas se passaram.

Botes salva-vidas

Dois botes salva-vidas foram vistos na água na manhã de ontem entre os escombros do helicóptero, que se espalharam por uma área de dez quilômetros, mas equipes de resgate confirmaram mais tarde que eles estavam vazios. O sobrevivente Robert Decker está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital de St. John, onde recebe tratamento para um osso quebrado e hipotermia. Sua condição é considerada crítica, mas estável. O piloto informou sobre problemas mecânicos, mas a causa do acidente ainda está sob investigação.

A tripulação de um voo da Provincial Airlines que passou pela região informou ter visto o helicóptero flutuando de ponta-cabeça poucos minutos depois do acidente. A aeronave ia para a plataforma de petróleo Hibernia, localizada a cerca de 320 quilômetros a leste de St. John e também deveria passar pela plataforma SeaRose, que fica nas proximidades.

Cunningham afirmou que é possível que balões sejam colocados sob o helicóptero e então inflados para trazê-lo para a superfície. Mas antes que isso seja feito, ele disse que uma máquina submergível operada por controle remoto e equipada com câmeras será enviada para o fundo do oceano no sábado para examinar os escombros.

Sistema de segurança

O acidente ocorreu menos de um mês depois que um helicóptero, levando funcionários de uma petrolífera, ter caído no Mar do Norte, na costa da Escócia. Todas as 18 pessoas a bordo foram resgatadas depois que a aeronave pousou em pé a poucos metros da plataforma de petróleo e foi mantida flutuando por sacos infláveis, que estufaram quando o helicóptero desceu na água. O Sikorsky S-92 canadense, que não teria mais de quatro anos de uso, tinha o mesmo sistema de segurança, disse Rick Burt, da Cougar Helicopters, empresa operadora da aeronave.

Tudo o que sabemos sobre:
acidentehelicópterobuscasCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.